Anatomia de um lanche

Todo adolescente sabe disto. Juntamente com o miojo, o hot pocket e a pipoca de micro-ondas, os sanduíches estão entre as primeiras coisas que aprendemos a fazer na cozinha quando estamos sozinhos, sem dinheiro e com muita fome. Não tem segredo, bastam duas – ou mais – fatias de pão, qualquer coisa para colocar entre elas, e pronto!

The Club: bacon, tomate, alface, peru, queijo suiço, maionese, no pão branco tostado.

No entanto, devemos concordar que não é só isso que faz um sanduíche ser um bom sanduíche. Além de gostoso, ele tem que ser cheiroso e bonito, como o artista e designer texano Jon Chonko parece saber bem.

Desde 2009, Chonko mantém o site Scanwiches, que, como o próprio nome diz, é dedicado à arte de escanear dos mais clássicos aos mais inusitados sanduíches. É um trabalho de análise anatômica que, por meio de um corte transversal, mostra com criatividade ingredientes, invoca memórias e tudo o que faz desta maravilha gastronômica uma unanimidade.

O sucesso do site foi tão grande que Jon Chonko chegou a expor seu trabalho em uma galeria em Nova York, em 2011, e, assim como aconteceu com o They Cook and Draw, ainda lançou um livro com a coletânea de sua obra. Além das imagens, O livro Scanwiches também traz receitas e histórias dos lanches, inclusive de clássicos internacionais como é o caso do nosso Bauru.

O Dagwood

Anúncios

Biblioteca Gourmet: Cão Gourmet

Ossinhos crocantes. Foto: Renato Marcel Ribeiro

Eu e minha irmã somos donas de cachorro de primeira viagem. Logo que o Bilo chegou em casa, compramos o “enxoval”, revistas, livros e até um manual do proprietário, pois queríamos acertar em tudo.

É claro que, com tanta preocupação, não conseguimos fazer isso, e o Bilo, admito, é um pouco mimado. Não é para menos, ele tem uma caixa enorme de brinquedos, protetor solar, colchão d’água, perfume para cachorros com fragrância da Calvin Klein, poncho peruano feito a mão e mais um monte de coisas que, desconfio, ele não gosta muito.

Quanto a isso, porém, não há problemas. Pelo menos não para ele, que larga tudo o que tem para brincar com bolinhas ou com garrafas pet. Achamos isso lindo. Em vez do que queremos, parece-me um hábito muito mais pernicioso dar ao Bilo tudo o que ele quer, como atenção desmedida e a comida dos nossos pratos.

Para aliviar a culpa que sentimos toda vez que comemos algo delicioso enquanto ele não sai da ração, compramos Cão Gourmet, de Myrian Abicair.

Com a ajuda do veterinário Flávio Ely Toniazzi, a dona do Spa Sete Voltas elaborou 30 receitas, entre petiscos e refeições, voltadas exclusivamente aos cachorros. São receitas simples, com em média 30 minutos de preparo, que levam ingredientes que você encontra em supermercados, como óleo de canola, farinha de trigo integral, frutas, legumes e cereais.Para ajudar no visual, Cão Gourmet ainda vem com cortadores para biscoitos: dois em formato de ossinho (um grande e um pequeno), e um em forma de coração.

Fizemos os ossinhos crocantes (foto), com um tiquinho de carne moída, cevada cozida e farinha de trigo integral. Nada de sal ou pimenta para temperar, o que tornou o biscoito um tanto ruim para o nosso paladar, embora a aparência seja bonita e a consistência, ideal para evitar problemas de tártaro.

O maior interessado adorou.

Cão Gourmet                                                                      

Autora: Myrian Abicair                                                           Editora: Cook Lovers                                                                     Preço médio: R$70